sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Workshop de Dança do Ventre

No dia 2 de Dezembro eu Priscila Genaro juntamente com o pessoal aqui do FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde vamos promover nosso 1ª Workshop Gratuito de Dança do Ventre On-line.

Serão 3 encontros, no qual conversaremos sobre alguns aspectos importantes sobre a Dança do Ventre praticada no Brasil e no Mundo:
  • O porque de praticar uma dança tão peculiar;
  • Aspectos importantes para uma boa prática e um bom desenvolvimento técnico;
  • Conversar sobre alguns cuidados e benefícios na prática.
Além destes temas, também temos o passo a passo de uma coreografia feita num solo de Derbak.

Este Workshop é a abertura do Curso de Dança do Ventre na modalidade on-line.

Se inscreva no Link para receber o acesso por e-mail: http://fidescultural.klickpages.com.br/nova-pagina-563531479079054

Participe e venha aprender a Dança do Ventre conosco.





Priscila Genaro e FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde oferecem cursos de Dança do Ventre em diversos formatos para atender a sua necessidade:

  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre, de baixo impacto, que queima calorias, fortalece a musculatura, favorece amizades e combate o estresse: Aulas Convencionais Presenciais
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo Presencial.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e não tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Intensivo Presencial.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e está fora de São Paulo: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo. Curso on-line ( Breve)
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre e baixo impacto,não tem tempo disponível ou está fora de São Paulo: Aulas Convencionais on-line ( Breve)
Fides – Aprenda Dança do Ventre de Forma Diferente


sexta-feira, 11 de novembro de 2016

A Dança dos 7 véus- "a dança de Salomé"

Acredito que de todas as danças agregadas e relacionadas a Dança do Ventre a dança dos sete véus é a que causa mais mal entendidos. Sou de uma família evangélica e logo que comecei a dançar ouvi da minha avó que essa dança não era boa, pois foi por causa da Dança do Ventre que João Batista foi degolado. Esta foi a primeira pesquisa que fiz na minha carreira, "a dança de Salomé".
Para uma melhor compreensão segue a contextualização do fato:
A Bíblia evangélica possui 66 livros e a católica tem 73 livros, sendo que destes, quatro contam a história de Jesus citando a passagem no qual João Batista o batiza no Rio Jordão, fato fundamental para as religiões Cristãs. João Batista é uma figura bíblica importante, era Profeta primo de segundo grau por parte da mãe de Jesus e sua principal pregação era a chegada do Messias e a remição dos pecados pelo arrependimento e o batismo. Em um de seus sermões acusou Herodias de ter um relacionamento adultero com o irmão de seu marido, o Rei da Judéia Herodes Antipas que mandou prende-lo e depois decapitá-lo.
Mateus 14:6No aniversário de Herodes, a filha de Herodias dançou diante de todos e agradou tanto a Herodes 7 - que ele prometeu sob juramento dar-lhe o que ela pedisse. 8-Influenciada por sua mãe, ela disse: "Dá-me aqui, num prato, a cabeça de João Batista". 9 -O rei ficou aflito, mas, por causa do juramento e dos convidados, ordenou que lhe fosse dado o que ela pedia 10- e mandou decapitar João na prisão. 11- Sua cabeça foi levada num prato e entregue à jovem, que a levou à sua mãe.


 Marcos 6:22 E aconteceu que a filha de Herodias se apresentou dançando e muito agradou a Herodes e aos convidados. Então, o rei brindou a jovem: “Pede-me o que desejares, e eu te darei!”. 23E sob juramento lhe assegurou: “Se pedires, ainda que seja a metade do meu reino, eu te darei!”. 24- Diante disso, saiu a moça e consultou sua mãe: “O que devo pedir?” Ao que ela recomendou: “A cabeça de João Batista!”.    


Nestes dois trechos da Bíblia que citam a festa de aniversário de Herodes e conseguente morte de João Batista, não diz que  dança Salomé realizou, nem cita o nome Salomé, nos demais livros apenas mencionam a morte do Profeta. Assim podemos concluir que a filha de Herodias pode ter realizado qualquer dança e que a dança dos sete véus como a conhecemos tem outra origem.

Foi em 1953 com o filme "Salomé"  interpretada por Rita Hayworth dirigido por Willian Diertele que a dança dos 7 véus foi eternizada como a dança responsável pela morte de João Batista.

Assim como na dança do ventre tradicional, existe a crença que a dança dos 7 véus era realizada nos templos , mas  os registros são ambíguos. O único fato realmente comprovado da dança dos sete véus é a produção cinematografia de Hollywood.  
Os bailarinos mais misticos creem na dança sagrada, que representa o desapego da matéria em busca da evolução espiritual os sete véus tem uma conotação sagrada devido a simbologia do número 7.
"O sete era considerado como sendo o número da perfeição e o número da Grande Mãe" 
Isis J. Stewart

"É uma dança sagrada na qual cada véu corresponde a um grau de iniciação"
Regina Ferrari

Para uma dança significativa e mistica segue algumas conotações do numero 7:

7 Virtudes: Fé, Esperança, Caridade, Prudência, Justiça, Força e Temperança.

7 Pecados capitais: Soberba, Ira, Inveja, Luxúria, Gula, Avareza e Preguiça.

7 Sacramentos da Igreja Católica: Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência, Unção dos Enfermos, Ordem e Matrimônio.

7 Obras de Misericórdia: 
Dar de comer, beber e vestir, dar pousada, assistir os enfermos, visitar os presos e cuidar dos que partem pela morte

7 braços do candelabro judeu. O símbolo sagrado do judaísmo é o memorá, candelabro com sete braços indicando os sete dias da criação.

7 Notas musicais com 7 escalas, 7 pausas e 7 valores.

7 Cores do Arco-Íris.

7 Pragas do Egito.

7 Arcanjos: Miguel, Jofiel, Samuel, Gabriel, Rafael, Uriel e Ezequiel.

7 Leis Universais: Natureza, Harmonia, Correspondência, Evolução, Polaridade, Manifestação e Amor.

7 Dons do Espírito Santo: Sabedoria, Entendimento, Conselho, Força, Ciência, Piedade e Temor a Deus.

7 Glândulas endócrinas: Hipófise, Tiróide, Paratireóides, Supra-renais, Sexuais, Timo e Pâncreas.

7 Chacras :Básico, Esplênico, Umbilical, Cardíaco, Laríngeo, Frontal e Coronário.

7 Meios para o homem para se tornar puro ( Budismo) : Domínio de si mesmo, Investigar a verdade, Energia, Alegria, Serenidade, Concentração e Magnanimidade.

7 Virtudes: Humildade, Liberdade, Castidade, Paciência, Abstinência, Caridade e Diligência.

Obras de Misericórdia Espiritual: Dar um Bom Conselho, Instruir os Menos Esclarecidos, Corrigir os que Erram, Consolar os Aflitos, Perdoar as Injúrias, Suportar Pacientemente as Fraquezas do Próximo e Rezar pelos vivos e Falecidos.

7 Personalidades de Deus (segundo Zoroastro): Luz Eterna, Omnisciência, Retidão, Poder, Piedade, Benevolência e Vida Eterna.
70 x 7 é a conta do perdão

A criação do mundo 6+1 dias= 7.

7 São os dias da semana.

7 Dias cada fase da Lua

O desenvolvimento é marcado pelo contagem de 7 anos aproximadamente: 7 criança/inocência, 14 desenvolvimento da sexualidade, 21 busca da liberdade, 28 auto afirmação 35 estabilidade, 42 fé...

Seja qual for sua crença, a Dança dos 7 Véus encanta qualquer público e foi uma das minha melhores experiencia com a Dança do Ventre. O mais importante é realizar uma dança de corpo e alma, que cada véu a ser retirado tenha uma mensagem, algo a dizer ao público, que a dança seja calma e tranquila. Não exite uma regra fixa, apenas o bom senso, cada bailarino tem uma forma de se expressar e cada público pede uma performance diferenciada, mas a livre criação esbarra na criticidade histórica da Dança do Ventre que sempre deve ser considerada nas composições coreográficas.

Em tudo que é feito com amor e para o bem de todos a beleza impera.

Na sequencia a dança dos sete véus realizada por Vanessa Natali aluna do FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde:



Se cadastre no link e receba informações de cursos, palestras e eventos em seu email: http://fidescultural.klickpages.com.br/inscricao-base


Priscila Genaro e FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde oferecem cursos de Dança do Ventre em diversos formatos para atender a sua necessidade:
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre, de baixo impacto, que queima calorias, fortalece a musculatura, favorece amizades e combate o estresse: Aulas Convencionais Presenciais
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo Presencial.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e não tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Intensivo Presencial.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e está fora de São Paulo: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo. Curso on-line ( Breve)
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre e baixo impacto,não tem tempo disponível ou está fora de São Paulo: Aulas Convencionais on-line ( Breve)
Fides – Aprenda Dança do Ventre de Forma Diferente
genaropriscila@hotmail.com







                                                 

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Dançando com Véu.

Dançar com um instrumento não é uma tarefa fácil, além do domínio das técnicas de Dança do Ventre  requer a destreza com o instrumento escolhido, como também conhecer qual musica e qual movimento se adequam melhor para compor uma coreografia contextualizada.
O véu é o instrumento mais democrático da Dança do Ventre, além de ser relativamente de baixo custo é recomendado para quem está  iniciando a dançar, pois serve de apoio para distrair os olhos de um quadril menos habilidoso.  Como a própria história da Dança do Ventre a dança do véu também é controversa.
Podemos encontrar  literaturas¹ de dança do ventre que afirmam que a dança com o véu era realizada por sacerdotisas nos rituais sagrados simbolizando o desapego e  retratando os seres etéreos, o elemento ar e a suavidade do ser. Na cultura oriental o véu é um manto utilizado para proteção dos intempéries da natureza, no Islã é um simbolo religioso, o referencial da mulher devota. De acordo com as pesquisas de Roberta Salgueiro o véu foi introduzido pelas bailarinas nos shows do Salah de Bad’ia Masabni, empresária bem sucedida do show business do Cairo no início do seculo passado, como forma de diversificar os espetáculos.
Apesar do véu fazer parte do cotidiano da mulher oriental foi no ocidente que esta dança criou forma, as bailarinas ocidentais desenvolveram técnicas para dançar com diversos tipos de véus: véu duplo, véu asas de Ísis, véu poi, véu fan. E dança-se com inúmeros véus de acordo com a criatividade de cada bailarina. Das danças com vários véus a mais famosa é a dança dos sete véus, que será abordada em outro texto.
No entanto na Dança do Ventre tradicional o véu é apenas a introdução de uma rotina clássica, onde a bailarina entra, manuseia o véu com suavidade e leveza e se desfaz dele num momento propicio da música para só então começar sua apresentação em si.
Mas nada impede que na livre criação artística a bailarina em seu solo ou num trabalho de grupo apresente uma coreografia inteira com véu, desde que não seja esquecido que na Dança do Ventre a enfase sempre está no cadenciado do quadril e nas ondulações do tronco e abdômen.
A dança com véu para mim é uma das mais prazerosas, me faz sentir livre e leve, me faz criança. Posso imaginar as mulheres de um passado extremamente distante se despindo de seus véus e dançando ao sabor de alguma musica simples e despretensiosa, apenas se entregando à melodia, sem preocupações, sem técnicas arrojadas, apenas corpo e alma em movimento, num momento único de encontro do Eu e do Cosmo, o reencontro com o Sagrado.
"Eu só poderia crer num Deus que soubesse dançar"
Nietzsche


Na sequencia minha dança com véu:


Se cadastre no link e receba informações de cursos, palestras e eventos em seu email: http://fidescultural.klickpages.com.br/inscricao-base


Priscila Genaro e FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde oferecem cursos de Dança do Ventre em diversos formatos para atender a sua necessidade:
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre, de baixo impacto, que queima calorias, fortalece a musculatura, favorece amizades e combate o estresse: Aulas Convencionais.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e não tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Intensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e está fora de São Paulo: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo. Curso on-line ( Breve)
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre e baixo impacto,não tem tempo disponível ou está fora de São Paulo: Aulas Convencionais on-line ( Breve)
Fides – Aprenda Dança do Ventre de Forma Diferente
genaropriscila@hotmail.com









sexta-feira, 7 de outubro de 2016

A Estética da Dança do Ventre

"A estética deve ser considerada como psicologia do prazer estético e da criação artística"
Lev S. Vygotsky  

Diversos pensadores como Vygotsky , Freud, Kant e muitos outros dissertaram sobre a estética e a arte, Embora a dança geralmente fique de fora destas discussões, ela é uma das formas mais antiga do expressar artístico.
Mas o que é estética na dança, como podemos definir o que é belo?
Cada individuo  tem a sua definição do que é belo e prazeroso. Desde a antiguidade a prática da dança busca o sentimento de prazer, seja devocional ou corporal, e também de uma beleza estética. No entanto para compreender os padrões estéticos da cada dança há a necessidade de compreender historicamente a momento vivido de execução desta. 
O ballet clássico é o exemplo mais fácil deste padrão estético na busca do prazer através do belo definido pelo momento histórico social. Ele foi compilado num período da história no qual os prazeres do corpo e a sexualidade eram considerados pecados, embora sejam apresentados diversos temas românticos,  o amor no ballet sempre é apresentado como algo sublime e etéreo, os bailarinos transmitem imagens angelicais com seus corpo e movimentos retilíneos e verticais, induzindo a sensação de ascensão, a subida ao céu numa negação ao corpo terreno e carnal.
Priscila Genaro
Focando o olhar na Dança do Ventre, qual estética buscamos, qual estética a Dança do Ventre expressa?
As primeiras imagens que a retratam a Dança do Ventre mostram mulheres de forte físico robusto com trajes típicos ricamente adornados. No início do seculo 20 com a ascensão do cinema hollywoodiano, as bailarinas de Dança do Ventre foram influenciadas pela imagem estética das atrizes norte americanas com formas arredondadas e cintura fina.
Assim chegamos a outra questão a mídia define a estética social ou a sociedade define a mídia?
Após a década de 70 o padrão estético feminino foi definido pelo sucesso dos grandes desfiles de alta costura, onde apresentavam mulheres altas e muito magras com o propósito de não dar forma diferenciada às roupas, assim como os cabides nas prateleiras das lojas. Apesar das mulheres naturalmente possuírem formas arredondadas, pois possuem mais camadas de gorduras que os homens, este padrão estético de corpo magro e longilíneo foi incorporado como ideal feminino. 
Homens e mulheres cada vez mais seguem este padrão de corpo magro com mais músculos aparentes e menos gordura. A imagem midiática de corpos magérrimos e seios avantajados, estabelece como verdade uma imagem feminina antagônica, pois se os seios são formados em grande parte de gordura, quanto menos gordura menos seios, assim muitas mulheres lutam para reduzir a gordura de seus corpos  e compensam a falta dela nos seios com próteses de silicone.
Esta estética da magreza refletiu em todas as danças inclusive na Dança do Ventre. As bailarinas de corpo mais robusto com movimentos bem aterrados e horizontais não são tão bem vistas esteticamente. A dança do Ventre passa a ser retratada por bailarinas magras com movimentos amplos de braços e pernas numa crescente verticalização dos movimentos.
Assim como os padrões estéticos sociais a Dança do Ventre vem se modificando esteticamente, partindo de Dança Sagrada, Dança de Cura, para Dança de Cabaret e atualmente Dança de Espetáculo, exigindo novas expressões, novas imagens e uma nova estética. 
Acredito e desejo que estas diversas Danças do Ventre podem coexistir. A Dança do Ventre comercial no qual a preocupação é a reprodução de padrões vendáveis se relacionando harmoniosamente com uma Dança do Ventre libertadora, curativa, integradora e democrática, onde indivíduos de almas livres e dançantes possam se expressar abertamente através de seus corpos, com suas verdadeiras formas de fazer artístico e criativo. Afinal o belo e o estético são relativos e o mais importante da arte é a mensagem, como diz Roger Garaundy:
 "Se o bailarino ou coreógrafo não tem nada para dizer, a dança, mesmo pautada pela perfeição da técnica, se torna medíocre."


Se cadastre no link e receba informações de cursos, palestras e eventos em seu email: http://fidescultural.klickpages.com.br/inscricao-base



Priscila Genaro e FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde oferecem cursos de Dança do Ventre em diversos formatos para atender a sua necessidade:
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre, de baixo impacto, que queima calorias, fortalece a musculatura, favorece amizades e combate o estresse: Aulas Convencionais.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e não tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Intensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e está fora de São Paulo: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo. Curso on-line ( Breve)
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre e baixo impacto,não tem tempo disponível ou está fora de São Paulo: Aulas Convencionais on-line ( Breve)
Fides – Aprenda Dança do Ventre de Forma Diferente
genaropriscila@hotmail.com


   


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Convocação as Almas Dançantes

As mulheres na antiguidade dançavam em reverencia aos Deuses, a Terra e a Vida. Mulheres de mão dadas estão eternamente representadas nas pinturas rupestres, em ornamentos de vasos e tapeçarias. Mulheres unidas em roda ora assistindo ora se apresentando, toda via em comunhão corpo, mente e espirito.

Quando foi que a humanidade dicotomizou o individuo?

Cada vez mais mulheres, homens e até crianças sofrem com o distanciamento dos seres, que de olhos fixos em seus aparelhos passam desapercebidos uns pelos outros. Cada um em seu mundo "conectadamente" desconexo, mil amigos, mais mil seguidores e nenhum olhar afetuoso.

Mas o que este discurso tem ver com a dança?

Este é um convite!

Ou melhor... É uma convocação para a pratica de uma Dança do Ventre sem barreiras, uma Dança do Ventre de irmãs, uma Dança do Ventre de mãos dadas, onde cada um é o que  é, onde cada dança é unica, sem regras, sem modelos, sem padrões.Uma dança da alma assim como acredito que seria a dança das bacantes, das ninfas, de Miriam e de Salomé. A entrega do corpo à divindade, ao sagrado que vem de dentro.
 Vamos dar as mãos aos nossos colegas dançantes sejam eles quem forem, homens ou mulheres - Vamos dançar irmãos! Vamos dançar na roda, vamos trocar nossos sentimentos, compartilhar o afeto. Vamos devolver para a caixa de pandora a criticidade exagerada, a competição, a arrogância, o desprezo e a vaidade.
Vamos irmãos dançantes, libertar nossos espíritos e deixar que o nosso amor cresça acolhendo aquele que está iniciando, aquele que está aprendendo, vamos estender a mão e dizer simplesmente - Assim é melhor, mas se desejar pode fazer do seu jeito!. Venha, apenas dance comigo!
Sentiremos assim a beleza e a riqueza que está dentro de cada um de nós, vamos dançar para que nossas vidas se encham de Luz, para que nunca mais nos encontremos sozinhos, porque a roda está em nós, sem pontas, sem arestas todos iguais e equidistantes, frente a frente em amor e fraternidade.
Venham irmãos dançantes, dance comigo, não importa quem é ou como você é, não importa sua altura, seu peso, sua pele ou seu cabelo. O que importa é sentir a sua mão na minha, ver o seu olhar e o seu sorriso.
Vamos dançar ao som de nossas risadas e o tilintar de nossos trajes.
Venham almas femininas, venham dançar uma Dança do Ventre que alimenta a alma , que atravessou os tempos, vamos nutrir nosso espíritos, vamos nos despir do que desejamos ser para ser o que realmente somos.
Vamos apenas dançar com os nossos ventres!

Texto inspirado durante a leitura do livro: 
"A Dança do sagrado Feminino"
Iris J. Stewart


Priscila Genaro e FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde oferecem cursos de Dança do Ventre em diversos formatos para atender a sua necessidade:
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre, de baixo impacto, que queima calorias, fortalece a musculatura, favorece amizades e combate o estresse: Aulas Convencionais.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e não tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Intensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e está fora de São Paulo: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo. Curso on-line ( Breve)
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre e baixo impacto,não tem tempo disponível ou está fora de São Paulo: Aulas Convencionais on-line ( Breve)
Fides – Aprenda Dança do Ventre de Forma Diferente
genaropriscila@hotmail.com
Se cadastre no link e receba informações de cursos, palestras e eventos em seu email: http://fidescultural.klickpages.com.br/inscricao-base







sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Vida e obra dos musicos árabes incluindo traduções das musicas


Este post é para compartilhar o conhecimento que toda bailarina estudiosa busca.
A biografia, discografia de 4 ícones da musica árabe e a tradução e analise de uma de suas musicas quanto a sua forma, textura, estilo rítmico e tempo. Todo este riquíssimo material está neste e-book disponível gratuitamente no link abaixo:

e-book: Musicalidade para Dança do Ventre

Índice do E-book

Biografia: Mohamed Abdel Wahab .................4
Analise da musica Ya Msafer Wahdak..............8
Biografia: Fairuz ...........................................12
Analise da Musica : Sa'altak Habibi................17
Biografia: Oum Kaltoum................................24
Análise da Musica Enta Omri..........................31
Wael Kfoury..................................................33
Analise da Musica Oumri killo........................36

Estas pesquisas foram apresentadas no Seminário de Musicalidade que aconteceu no dia 07 de agosto de 2016 aqui do FIDES.

Os alunos do curso formação em Dança do Ventre do FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde, sob a orientação do professor de musica Paulo Genaro, pesquisaram sobre algumas das importantes personalidades da musica árabe e neste e-book estão quatro delas.

Como já foi falado antes, o estudo da Dança do Ventre vai muito além de reproduzir alguns movimentos e trejeitos, o estudo exige compreender o processo cultural a qual a dança foi formatada.
Conhecer a vida e a obra de seus principais cantores e compositores fazem parte deste estudo, pois compreender o momento histórico social em que a obra foi composta, favorece a percepção da mensagem e as intenções do compositor e do cantor, propiciando uma interpretação musical mais fiel e subsídios para a criação coreográfica.

Além de saber ouvir as partes que compõe a musica conhecer sua história completa o estudo de uma boa bailarina.

Assim baixe o e-book gratuitamente, aprecie os trabalhos dos alunos e comente com sua opinião para aprimorarmos o nosso trabalho.

Link do e-book gratuito:
e-book: Musicalidade para Dança do Ventre

Na sequencia o vídeo com o resumo do Seminário de Musicalidade 2016:


Priscila Genaro e FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde oferecem cursos de Dança do Ventre em diversos formatos para atender a sua necessidade:
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre, de baixo impacto, que queima calorias, fortalece a musculatura, favorece amizades e combate o estresse: Aulas Convencionais.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e não tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Intensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e está fora de São Paulo: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo. Curso on-line ( Breve)
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre e baixo impacto,não tem tempo disponível ou está fora de São Paulo: Aulas Convencionais on-line ( Breve)
Fides – Aprenda Dança do Ventre de Forma Diferente
















sábado, 3 de setembro de 2016

Homens na Dança do Ventre - parte 2

"Homens não tem ventre"
"A dança do ventre é uma dança estritamente feminina"

Este é o complemento do post anterior, para quem quiser conferir segue o link:http://bellydancepriscilagenaro.blogspot.com.br/2016/08/homens-na-danca-do-ventre.html


As feiras mundiais por volta de 1880 difundiam a cultura oriental como exótica e compostas de aberrações, de acordo com  Roberta Salgueiro na feira internacional de 1889 em Paris mais de duas mil pessoas assistiram os espetáculos de danse du ventre, que era chamada assim pelo fato das bailarinas estarem com o ventre a mostra, mas foi em Chicago na World's Columbian Exposition, em 1893 que o nome foi consolidado como Belly Dance, mas segundo a bailarina Shahrazad Shahid Sharkey o nome correto é Dança do Leste, Rask Shark.
Sendo assim restringir a pratica da dança pela terminologia do seu nome como na afirmativa: homens não podem dançar a dança do ventre, pois não possuem ventre cai por terra, pois dança do ventre não está relacionado ao ventre materno, mas ao abdômen, assim  homens e mulheres possuem abdômen, homens e mulheres podem dançar a dança do ventre.
A analise da segunda afirmativa "A dança do ventre é uma dança estritamente feminina" é um pouco mais complexa, temos que analisar o contexto histórico social. 
De acordo com a Heloneida Studart a mulher perdeu seu poder quando decidiu cuidar dos filhos a ir para guerra com os homens. As mulheres foram realmente subjugada por quase toda história da humanidade, pois sua própria estrutura física e possíveis períodos de gestação a colocavam e colocam em desvantagem física em relação ao homem, assim ela foi assumindo um papel passivo e submisso na sociedade, acredito até por questões de sobrevivência. Coube a mulher o papel social de provedora, de serviçal,  aquela que cuida, até hoje são em grande maioria mulheres nos serviços de enfermagem e de educação de crianças pequenas. Porém a sociedade vem tomando outros rumos, a tecnologia vem tomando o lugar da força bruta, homens e mulheres ocupam os mesmos cargos, dividem os mesmos papeis sociais tanto na economia como na família. Assim os papeis sociais de gênero também caem por terra, homens e mulheres trabalham fora e cuidam de suas casas e filhos, igualmente ou deveria ser assim.
No antiguidade homens e mulheres dançavam em adoração aos deuses, pediam a fertilidade da terra e dos ventre, a prosperidade dependia disto, o crescimento econômico dependia também do crescimento populacional. Uma família rica era composta por muitos filhos e netos fortes para o trabalho. Partindo deste pressuposto a dança do ventre é uma dança que expressa o Eu feminino, o poder de criar e gerar. Jung ao colocar que todos nós temos em nossa psique o lado masculino e feminino, animus e anima, nos possibilita compreender o papel da arte sem gênero, sem tabus, pois de acordo com Lev Vygostisky a arte é terapêutica para o artista e para o público. É a arte que une o consciente e o inconsciente do  ser humano, transformando-o num ser pleno, completo. Masculino e feminino uno em plenitude.
Os homens estão apenas ocupando seu lugar na dança, assim como as mulheres ocupam seus lugares na sociedade. Ambos caminhando para uma sociedade harmoniosa e equilibrada livre de dicotomias e esteriótipos. Uma sociedade realmente humana.

"o que é mais importante-, promover o esclarecimento e a liberdade humana."
Edward W. Said

Vídeo do Texto:



Priscila Genaro e FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde oferecem cursos de Dança do Ventre em diversos formatos para atender a sua necessidade:
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre, de baixo impacto, que queima calorias, fortalece a musculatura, favorece amizades e combate o estresse: Aulas Convencionais.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e não tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Intensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e está fora de São Paulo: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo. Curso on-line ( Breve)
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre e baixo impacto,não tem tempo disponível ou está fora de São Paulo: Aulas Convencionais on-line ( Breve)
Fides – Aprenda Dança do Ventre de Forma Diferente






sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Homens na dança do ventre!

Priscila Genaro e Guilherme Troiano
Nos últimos 10 anos é crescente a participação de homens em espetáculos de dança do ventre, apesar de não ser uma novidade, estes bailarinos sempre estiveram presentes.
Mahmud Reda, Tito Seif, Gamal Seif são exemplos de bailarinos maravilhosos, que fazem parte da história da dança do ventre no Cairo e no mundo. Porém a presença dos homens nesta arte é muito mais antiga, de acordo com a pesquisa de Roberta Salgueiro, os homens tomaram o lugar da mulheres quando estas foram proibidas de atuarem na região do Cairo. A escritora nos coloca que estes homens não se caracterizavam de mulheres, mas dançavam a dança do ventre assim como as mulheres, possibilitando a preservação desta arte.
Classificar a dança do ventre como dança feminina é diminuir seu carácter artístico, visto que o fazer arte não possui gênero. Quando falamos em dança como forma de preservação de uma cultura, cada bailarino ou bailarina possui seu papel pré estabelecido dentro de um contexto sociocultural de acordo seu período histórico, assim homens e mulheres possuem seus gestos e movimentos específicos pré determinados que devem ser respeitados ou não se preserva a forma cultural a que se refere.
Mas quando falamos de arte, do fazer criativo, do expressar através do corpo, para isso não existe gênero apenas a arte a ser apresentada e construída. A dança é uma forma de expressão que trabalha o corpo e o prazer através de formas e figuras que transmitem uma mensagem, um diálogo entre bailarino e público através da representação do som e da musica.

Mas por que estes homens fazem tanto sucesso?
Quando assistimos as bailarinas antigas, as precursoras da dança do ventre como ela é hoje, como Taheya Carioca ou  Naima Akef entre muitas outras, podemos ver que cada uma tem seu próprio estilo de dança, sua particularidade ao se movimentar e elaborar sua composição coreográfica. Bailarinas como Fifi Abdo mestra em autenticidade são cada vez mais raras. .
Acredito que a massificação e homogenização da dança realizada pelas bailarinas de dança do ventre, causa uma lacuna, no quesito criatividade. Quando assistimos um festival parece que todas as bailarinas são a mesma pessoa, os mesmos trejeitos, jogadas de cabelo e pernas no mesmo momento da musica, que  vai de encontro com uma das principais características da dança do ventre,  a liberdade de expressão, o que em contra partida vemos nos homens. Atualmente são eles que tem apresentado uma dança autentica, onde a personalidade e criatividade sobressai ao modismos e padrões pré estabelecidos.
Mas o preconceito ainda existe e nos próximos post falarei sobre estas não verdades:

"Homens não tem ventre"
"A dança do ventre é uma dança estritamente feminina"

Nos vídeos duas apresentações de Guilherme Troiano aluno do FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde.




Priscila Genaro e FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde oferecem cursos de Dança do Ventre para todos os objetivos:
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre, de baixo impacto, que queima calorias, fortalece a musculatura, favorece amizades e combate o estresse: Aulas Convencionais.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e não tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Intensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e está fora de São Paulo: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo. Curso on-line ( Breve)
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre e baixo impacto,não tem tempo disponível ou está fora de São Paulo: Aulas Convencionais on-line ( Breve)
Fides – Aprenda Dança do Ventre de Forma Diferente




Homens na dança do ventre!

Priscila Genaro e Guilherme Troiano
Nos últimos 10 anos é crescente a participação de homens em espetáculos de dança do ventre, apesar de não ser uma novidade, estes bailarinos sempre estiveram presentes.
Mahmud Reda, Tito Seif, Gamal Seif são exemplos de bailarinos maravilhosos, que fazem parte da história da dança do ventre no Cairo e no mundo. Porém a presença dos homens nesta arte é muito mais antiga, de acordo com a pesquisa de Roberta Salgueiro, os homens tomaram o lugar da mulheres quando estas foram proibidas de atuarem na região do Cairo. A escritora nos coloca que estes homens não se caracterizavam de mulheres, mas dançavam a dança do ventre assim como as mulheres, possibilitando a preservação desta arte.
Classificar a dança do ventre como dança feminina é diminuir seu carácter artístico, visto que o fazer arte não possui gênero. Quando falamos em dança como forma de preservação de uma cultura, cada bailarino ou bailarina possui seu papel pré estabelecido dentro de um contexto sociocultural de acordo seu período histórico, assim homens e mulheres possuem seus gestos e movimentos específicos pré determinados que devem ser respeitados ou não se preserva a forma cultural a que se refere.
Mas quando falamos de arte, do fazer criativo, do expressar através do corpo, para isso não existe gênero apenas a arte a ser apresentada e construída. A dança é uma forma de expressão que trabalha o corpo e o prazer através de formas e figuras que transmitem uma mensagem, um diálogo entre bailarino e público através da representação do som e da musica.

Mas por que estes homens fazem tanto sucesso?
Quando assistimos as bailarinas antigas, as precursoras da dança do ventre como ela é hoje, como Taheya Carioca ou  Naima Akef entre muitas outras, podemos ver que cada uma tem seu próprio estilo de dança, sua particularidade ao se movimentar e elaborar sua composição coreográfica. Bailarinas como Fifi Abdo mestra em autenticidade são cada vez mais raras. .
Acredito que a massificação e homogenização da dança realizada pelas bailarinas de dança do ventre, causa uma lacuna, no quesito criatividade. Quando assistimos um festival parece que todas as bailarinas são a mesma pessoa, os mesmos trejeitos, jogadas de cabelo e pernas no mesmo momento da musica, que  vai de encontro com uma das principais características da dança do ventre,  a liberdade de expressão, o que em contra partida vemos nos homens. Atualmente são eles que tem apresentado uma dança autentica, onde a personalidade e criatividade sobressai ao modismos e padrões pré estabelecidos.
Mas o preconceito ainda existe e nos próximos post falarei sobre estas não verdades:

"Homens não tem ventre"
"A dança do ventre é uma dança estritamente feminina"

Nos vídeos duas apresentações de Guilherme Troiano aluno do FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde.





Priscila Genaro e FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde oferecem cursos de Dança do Ventre para todos os objetivos:
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre, de baixo impacto, que queima calorias, fortalece a musculatura, favorece amizades e combate o estresse: Aulas Convencionais.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e não tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Intensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e está fora de São Paulo: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo. Curso on-line ( Breve)
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre e baixo impacto,não tem tempo disponível ou está fora de São Paulo: Aulas Convencionais on-line ( Breve)
Fides – Aprenda Dança do Ventre de Forma Diferente




quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Como elaborar uma coreografia de Dança do Ventre

Montar uma coregrafia não é tarefa fácil seja qual for a dança e quando falamos em Dança do Ventre a questão é muito mais complexa. O coreografo deve impreterivelmente considerar alguns fatores:

  • Que estilo de dança pretende realizar;
  • A musica está de acordo com o estilo escolhido;
  • Observar a origem e estilo da musica escolhida;
  • Os movimentos e técnicas escolhidas estão de acordo com o estilo;
  • O estilo de musica e dança possibilitam variações e flexibilidade na composição;
  • O mais importante: Qual é a intensão da coreografia, qual mensagem a ser passada para o público.
  • Respeitar as tradições;
  • Ser criativo e inédito;
  • Estudar o figurino para que esteja de acordo com coreografia e o contexto.
  • Observar o desenho formado durante a apresentação;
  • Elaborar um inicio e um fim que sinalize estes dois momentos distintos;
  • Se utilizar instrumentos, elaborar um jogo de evidencias entre instrumento e bailarinos;
  • A dança deve ser prazerosa pra quem assiste e pra quem a executa.
Mesmo seguindo estes critérios acredito na livre criação do artista, apesar da Dança do Ventre ter um forte peso cultural, podemos criar trabalhos coregráficos livres com propósitos meramente artístico.
Foi o que busquei com a releitura da coreografia de Maurice Bérjat realizada originalmente na década de 60, com a musica Bolero composto por  Joseph M. Ravel em 1928 encomendado por Ida Rubistein que escandalizou pela sensualidade da dança na época.
Minha versão preferida é a realizada por Jorge Don em 1970 pela intensidade e entrega do bailarino, o que me deu subsídios para fazer o meu trabalho coreográfico. Segue o vídeo maravilhoso do Bolero com Jorge Don:


Assim como Dalcrose diz "o movimento é a manifestação exterior de um sentimento interior, a coreografia que compus partindo da obra de Bérjat expressa para mim a união pacifica  das diversidades que vivemos ou deveríamos viver nestes tempos globais, estudante e amantes da Dança do Ventre de todas as idades e níveis de aprendizagem diferentes em comunhão. Assim como a sociedade em constante movimento a coreografia também nunca foi apresentada duas vezes da mesma forma. Neste vídeo falo um pouco da coreografia e na sequencia sua apresentação em São José dos Campos no dia 9 de julho deste ano no Festival da Amizade do Revelando São Paulo. 



Segue lista das diversas versões apresentadas:

1ª versão ( com apenas 2 ensaios) da coreografia Festival de Halloween Fabrica de Cultura do Itaim Paulista outubro 2015:



2ª versão ( com derbak ao vivo) Mostra de Natal FIDES  dezembro 2015:



3ª versão Festival da Amizade Atibaia  Janeiro 2016



4ª versão ( com a pequena Letícia solando) Festival Oriente Fabrica de Cultura Itaim Paulista Fevereiro 2016



5ª versão ( Com o maior número de pessoas) Mercado Persa  Abril 2016




6 ª versão está no primeiro vídeo onde falo sobre o trabalho

7ª versão ( talvez a última) Festival de Inverno FIDES julho 2016



Priscila Genaro e FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde oferecem cursos de Dança do Ventre para todos os objetivos:
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre, de baixo impacto, que queima calorias, fortalece a musculatura, favorece amizades e combate o estresse: Aulas Convencionais.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e não tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Intensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e está fora de São Paulo: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo. Curso on-line ( Breve)
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre e baixo impacto,não tem tempo disponível ou está fora de São Paulo: Aulas Convencionais on-line ( Breve)
Fides – Aprenda Dança do Ventre de Forma Diferente



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...