segunda-feira, 1 de junho de 2015

História da Humanidade

”Para expressar profundamente, e mesmo participar de um momento histórico da criação contínua do homem, a dança moderna exige, por seu próprio princípio, que o dançarino seja portador de uma imensa cultura”  Roger Garandy

Curso de Formação de Professor de Dança do Ventre

Modulo 1 - Aula 2 - Uma Breve História da Humanidade



Ao estudar dança, seja a dança brasileira ou a Dança do Ventre se faz necessário compreender o processo histórico, político, econômico e social em que estão inseridas as construções coreográficas, visto que a dança, como toda expressão artística é a representação da sociedade vigente. Sociedade com seus líderes e ícones sociais pertencentes às classes letradas e que detêm as posses, com poucas exceções, desta forma mesmo quando há a defesa das minorias, esta defesa passa pelo crivo do dominador. Às classes populares restam-lhe seguir as regra e normas ditadas pela classe dominante. A arte representa este poder e a resistência a ele, numa dialética implícita.

Para compreender o processo evolutivo da dança é necessário compreender o próprio homem e sua evolução social, econômica e geográfica...


Este foi o inicio da 2ª aula de Formação de professor de Dança do Ventre. Após um breve passeio panorâmico pela história da Humanidade foi proposta algumas questões de auto avaliação, partindo do pressuposto que o maior conhecimento e o auto conhecimento.Entre as quais, as clássicas questões: O que te levou a praticar a Dança do Ventre e qual seu objetivo nesta Dança?

"Em primeiro lugar foi fazer realmente uma atividade física. depois que conheci mais a dança do ventre, foi estar de bem comigo"

"Sempre tive vontade de aprender, gostava de ver as bailarinas dançando"

" Ser feliz e aprender"

"Aprender a dançar e estudar sobre a dança do ventre. Saber o que por que ela existe e encanta as mulheres."

"Distrair a mente, mexer o corpo, aprender a dançar e ter controle do corpo"

"Desenvolver a sensualidade sensualidade, sentir-se bem"

" Meu objetivo hoje é passar meu conhecimento ao próximo, mas já foi me conhecer melhor, estar de bem com o corpo e conhece-lo melhor."


Este texto faz parte do curso de formação leia do inicio:

Modulo 1 introdução

Modulo 1 aula 1




segunda-feira, 18 de maio de 2015

Introdução


Curso de formação de professor de dança do ventre
Introdução
                                                 
A dança do ventre é uma das danças mais controversas que podemos encontrar no Brasil. A literatura existente não é específica quanto a sua origem e formatação. Cada bailarina criou seus próprios conceitos de dança e nomenclatura, dificultando um aprendizado sistematizado, visto que no oriente é uma dança empírica, desenvolvida no seio familiar, existindo diversas formas de expressá-la.
Apresentada no Brasil desde os anos 50, a dança do ventre tem sofrido muitas mudanças em seu aspecto artístico e coreográfico desde então. A dança apresentada e praticada atualmente se difere da dança do ventre dançada há vinte anos, o que mudou? Por que mudou? Estávamos dançando errado? Estamos dançando errados hoje? 
Marcia Dib em seu estudo estabelece que “o homem percebe e age no espaço segundo normas pessoais, sociais e culturais e, por outro lado, o meio age sobre ele”, nesta dialética infinita que a história é construída e reconstruída incessantemente. Esta afirmação justifica as mudanças ocorridas, mas por que isso não ocorre com outras danças como o ballet clássico, ou se ocorre são mudanças mais sutis. O ballet é praticado dentro de um repertório especifico e nomenclatura estabelecida, por que a dança do ventre não é assim? São questões constantes na mente de quem inicia o aprendizado da dança do ventre.  Compreender a dança do ventre inclui compreender o processo da historia do homem e seu fazer artístico.
Assim podemos propor que para esta compreensão da Dança do Ventre se faz necessário o estudo percorra caminhos além da história desta dança  no Brasil e no Oriente, mas também a história da dança no mundo, que evolui e se modifica de acordo com o pensamento do homem juntamente com suas ações, dentro de diversos contextos históricos, sociais e econômicos, no qual conquistadores e conquistados trocam de papeis constantemente, onde a globalização já ocorria muito antes da existência deste termo, influenciando e favorecendo as transformações sociais e culturais.
“todas as culturas impõem correções a realidade crua, transformando-as em objetos flutuantes em unidades de conhecimento.” Edward Said
Dentro desta perspectiva de interação individuo sociedade, o processo de apoderar-se da dança do ventre feito pelo ocidente, só pode ser compreendido diante do estudo histórico e sistemático da evolução da dança e difusão da cultura oriental pelo ocidente tomando o cuidado de não cair nas armadilhas estereotipadas do orientalismo europeu.
Apesar da existência da internet que favorece a pesquisa, o conhecimento e estudo sistematizado e cientifico ainda é pouco difundido.
Nas escolas de dança e academias aqui no Brasil poucos profissionais conhecem o que é a dança do ventre e sua herança histórica e cultural. Praticam a dança do ventre como qualquer outra dança, confundindo a dança árabe e a dança do ventre, apesar de que ambas estão intimamente ligadas, cada uma possui as suas raízes e personalidades própria. A falta de conhecimento não pode ser julgada, no entanto uma dança milenar necessita de ser estudada e entendida.
Outra questão muito debatida hoje no Brasil é a forma de ensino desta dança, como no oriente não existem escolas de dança do ventre e nem um método sistematizado e pré-estabelecido, a questão é qual o melhor método a ser adotado para a aprendizagem de dança do ventre?
No oriente a dança ocorre espontaneamente, assim como a passista aqui no Brasil que cresce dentro das escolas de samba e aprende a sambar vendo a mãe, a tia e avó sambando. A dançarina oriental também aprende no seio da família, de forma natural e empírica, os movimentos de ambas fazem parte do histórico e da memória corporal delas.  Mesmo fazendo parte da cultural local não existem escolas de passistas pelo Brasil afora, como no oriente não existem escolas de dança do ventre em todo lugar. É um universo que não faz parte da vida de todo árabe, como muitos brasileiros não sabem e não gostam de sambar.
O ensino da dança do ventre no Brasil exige o preparo e a reorganização postural  e muscular para que os movimentos específicos sejam realizados com desenvoltura e naturalidade assim como as bailarinas nativas do oriente. Uma coreografia para ser considerada dança do ventre deve conter movimentos cadenciados e ondulatórios de quadril, como disse Mahmud Reda, um dos maiores coreógrafos do Egito, em uma de suas visitas ao Brasil “sem quadril” não é Dança do Ventre e para que isso ocorra o treino e a preparação física é intrínseca a aprendizagem.
 A música árabe com seus tons específicos não faz parte da rotina auditiva do brasileiro o que dificulta a aprendizagem da dança do ventre, assim como é difícil ensinar um americano sambar é difícil aprender e ensinar a dança do ventre. A busca do melhor método que não descaracterize a dança nem a transforme em dança estereotipada ou caricata  é o desafio de quem pretende se profissionalizar nesta arte.

Compreender a dança do ventre e propor um método eficaz de ensino é a proposta deste curso.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Curso de Formação de Professor de Dança do Ventre

Curso Livre de Formação de Professores de Dança do Ventre

"A alma do filósofo vive em sua cabeça, a alma do poeta vive em seu coração, a alma do cantor vive em sua garganta, mas a alma da bailarina habita em seu corpo todo."
(Khalil Gibran)


Com objetivo de formar e capacitar professores e instrutores de Dança do Ventre, este curso é composto por 4 módulos teóricos apostilados e 3 formatações de práticas  visando atender as expectativas  e interesse de cada estudante,  compondo o total de 440 horas de estudo da arte da Dança do Ventre , sua aplicação  didática e os elementos artísticos e culturais que a acompanham .


Aulas teóricas

1º Modulo
História da Dança do Ventre
Orientalismo
Folclore e a herança cultural árabe
Estilos e tendências
Eu feminino e Eu masculino
Figurino e montagem coreográfica
Dança terapia
Personalidade Artística
2º Modulo
Anatomia geral
Cinesiologia aplicada a Dança do Ventre
Condicionamento físico e a dança
Cuidados e precauções na dança
O olhar de quem ensina movimento

3º Modulo
Didática
Didática para 3ª idade
Didática para crianças
Didática para gestantes
Composição coreografica para grupos
Mediação de conflitos

4º Modulo
Estudo da música árabe
Ritmos e percussão árabe
Teoria musical voltada para o profissional de dança
(Neste modulo o estudante pode optar em treinar a percussão árabe com snujs ou derbak, com o instrumento musical do estudante)


Aulas Práticas

As aulas práticas do curso são oferecidas em 3 formatos diferentes de curso, cada matricula garante 1curso:
Curso 1: 2 vezes por semana aula de 1hora e 30 min de técnicas de dança do ventre e folclore árabe.
Curso 2: 1 vez por semana aula de 1hora e 30 min de técnicas de dança do ventre e folclore árabe, mais 1 vez por semana aula de 1hora e 30 min de técnicas de Ballet .
Curso 3: 1 vez por semana aula de 1hora e 30 min de técnicas de dança do ventre e folclore árabe mais 1 vez por semana aula de 1hora e 30 min de técnicas de Jazz.


Atividades Obrigatórias

Apresentação de pesquisa acadêmica no final de cada módulo.
Apresentação de formatura.




Atividades Extras

Participação nos eventos semestrais do FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde.
Participação junto com o Grupo FIDES Cultural em diversos eventos dentro e fora de São Paulo.



Coordenadora: Priscila Genaro

Estuda e pratica a dança do Ventre desde 1995, fez aulas regulares com as bailarinas Lulu From Brasil, Jade El Jabel, Shamis, Nur, Najua(Mirela) e Dunia La Luna. Realizando trabalhos  profissionais desde de 1997, participou da formação inicial do Grupo Souham, período que este grupo se destacou como modelo de dança do ventre coreografada, participou de diversos programas de televisão: Adriane Galisteu, Raul Gil, Sula Miranda, Calçadão ( TV paga). Entre 2002 e 2004 participou de muitos Shows com o Grupo Mil e Uma Noites, Tony Mouzayek e Banda e Tony Layoun. Em 2005 passou a se dedicar as aulas e aos estudos da dança do ventre como fonte de autoconhecimento. Graduada em Licenciatura para o Ensino Fundamental pela USP (Universidade de São Paulo) 2004, pós graduada em Gestão Escolar 2006. Atualmente ministra aulas de dança do ventre, yoga e ballet.



Professores Convidados:
André Genaro: Percussionista, instrutor de Yoga e Estudante de Educação Física.
Paulo Henrique Genaro: Músico pianista.
Erika Genaro: Bailarina e fotografa


Opções de horários das aulas práticas:
 Terça- feira 20h às 21h e 30min
     Quinta- feira 16h às 16h e 30min
                  Sábado 10h e 30min às 12h e  16h e 30min às 18h

Opções de horários das aulas teóricas:
 Terça- feira 15h e 30min às 17h ou  Sábado 13h e 30min às 15h


Duração: 24 meses
Investimentos: 24 X R$ 220,00
Descontos especiais para pagamento a vista nos planos semestrais.

Contato: 11- 2056 – 0454
www. Fidescultural.com.br
https://www.facebook.com/FidesCultural
Email: genaropriscila@hotmail.com

Se cadastre no link e receba em email nossa informações:
http://fidescultural.klickpages.com.br/inscricao-base

Realização: FIDES Centro de Cultura,  Lazer e Saúde


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...