sábado, 3 de setembro de 2016

Homens na Dança do Ventre - parte 2

"Homens não tem ventre"
"A dança do ventre é uma dança estritamente feminina"

Este é o complemento do post anterior, para quem quiser conferir segue o link:http://bellydancepriscilagenaro.blogspot.com.br/2016/08/homens-na-danca-do-ventre.html


As feiras mundiais por volta de 1880 difundiam a cultura oriental como exótica e compostas de aberrações, de acordo com  Roberta Salgueiro na feira internacional de 1889 em Paris mais de duas mil pessoas assistiram os espetáculos de danse du ventre, que era chamada assim pelo fato das bailarinas estarem com o ventre a mostra, mas foi em Chicago na World's Columbian Exposition, em 1893 que o nome foi consolidado como Belly Dance, mas segundo a bailarina Shahrazad Shahid Sharkey o nome correto é Dança do Leste, Rask Shark.
Sendo assim restringir a pratica da dança pela terminologia do seu nome como na afirmativa: homens não podem dançar a dança do ventre, pois não possuem ventre cai por terra, pois dança do ventre não está relacionado ao ventre materno, mas ao abdômen, assim  homens e mulheres possuem abdômen, homens e mulheres podem dançar a dança do ventre.
A analise da segunda afirmativa "A dança do ventre é uma dança estritamente feminina" é um pouco mais complexa, temos que analisar o contexto histórico social. 
De acordo com a Heloneida Studart a mulher perdeu seu poder quando decidiu cuidar dos filhos a ir para guerra com os homens. As mulheres foram realmente subjugada por quase toda história da humanidade, pois sua própria estrutura física e possíveis períodos de gestação a colocavam e colocam em desvantagem física em relação ao homem, assim ela foi assumindo um papel passivo e submisso na sociedade, acredito até por questões de sobrevivência. Coube a mulher o papel social de provedora, de serviçal,  aquela que cuida, até hoje são em grande maioria mulheres nos serviços de enfermagem e de educação de crianças pequenas. Porém a sociedade vem tomando outros rumos, a tecnologia vem tomando o lugar da força bruta, homens e mulheres ocupam os mesmos cargos, dividem os mesmos papeis sociais tanto na economia como na família. Assim os papeis sociais de gênero também caem por terra, homens e mulheres trabalham fora e cuidam de suas casas e filhos, igualmente ou deveria ser assim.
No antiguidade homens e mulheres dançavam em adoração aos deuses, pediam a fertilidade da terra e dos ventre, a prosperidade dependia disto, o crescimento econômico dependia também do crescimento populacional. Uma família rica era composta por muitos filhos e netos fortes para o trabalho. Partindo deste pressuposto a dança do ventre é uma dança que expressa o Eu feminino, o poder de criar e gerar. Jung ao colocar que todos nós temos em nossa psique o lado masculino e feminino, animus e anima, nos possibilita compreender o papel da arte sem gênero, sem tabus, pois de acordo com Lev Vygostisky a arte é terapêutica para o artista e para o público. É a arte que une o consciente e o inconsciente do  ser humano, transformando-o num ser pleno, completo. Masculino e feminino uno em plenitude.
Os homens estão apenas ocupando seu lugar na dança, assim como as mulheres ocupam seus lugares na sociedade. Ambos caminhando para uma sociedade harmoniosa e equilibrada livre de dicotomias e esteriótipos. Uma sociedade realmente humana.

"o que é mais importante-, promover o esclarecimento e a liberdade humana."
Edward W. Said

Vídeo do Texto:



Priscila Genaro e FIDES Centro de Cultura Lazer e Saúde oferecem cursos de Dança do Ventre em diversos formatos para atender a sua necessidade:
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre, de baixo impacto, que queima calorias, fortalece a musculatura, favorece amizades e combate o estresse: Aulas Convencionais.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e não tem tempo disponível: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Intensivo.
  • Para quem quer ser profissional,  dar aulas e está fora de São Paulo: Curso de Formação e Capacitação de Professores de Dança do Ventre Extensivo. Curso on-line ( Breve)
  • Para quem quer fazer uma atividade física alegre e baixo impacto,não tem tempo disponível ou está fora de São Paulo: Aulas Convencionais on-line ( Breve)
Fides – Aprenda Dança do Ventre de Forma Diferente






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...