terça-feira, 15 de outubro de 2019

Estudando a Musica Árabe 6 - Enta Omri

Traga seus olhos para perto 
então meus olhos 
podem se perder na vida de seus olhos.
Traga suas mãos 
então minhas mãos vão repousar nas suas

A música que vamos estudar hoje é Enta Omri, na voz do maior músico árabe residente no Brasil Tony Mouzayek.  Mais uma composição de Mohamed Abdel Wehab, fazendo estes textos percebi que este é meu compositor Árabe preferido e ainda não tinha me dado conta disto.

Para quem ainda não viu a biografia dele clique aqui para ler a ótima pesquisa realizada por Izaura Nunes para a conclusão do Módulo de Musicalidade do Curso de Formação em Dança do Ventre oferecido aqui no FIDES.

Se quer mais informações sobre este Curso de Formação em Dança do Ventre  clique aqui neste outro link.: www.priscilagenaro.com.br

Esta composição é um clássico da música árabe e sua estrutura  simples possibilita ao cantor fazer uso de sua habilidade vocal. Umas das principais características da músicas árabe é a tradicional variação da voz em diversos tons e microtons o que causa uma certa estranheza para quem não está familiarizado. Para mim é o que dá a magia oriental à melodia. 

Originalmente foi interpretada na voz de Oum Kalthoum celebre interprete egípcia. Mas como já falei a versão estudada é na voz de Tony Mouzayek




Analise da musica Enta Omri

Tempo: 4/4
Forma: Rapsódia
Textura principal: qanum, violino, guitarra, teclado, derbak, tabla, pandeiro, vocal.
Modo Rítmico: Sama'i Thaqil, Said e Maqsun.

Características marcantes da música Enta Omri

A simplicidade em sua estrutura é o que a deixa tão linda e gostosa de dançar, pois repete muitas vezes a mesma sequencia com variações na textura que a deixa dinâmica, eu tenho a impressão de ouvir três musicas independentes o que caracteriza a rapsódia. Embora a letra segue uma sequência lógica.

A primeira parte é uma música completa com introdução, partes A, B e coda. Eu já coreografei com alunas somente esta parte que é linda, suave e com uma percussão marcante, ótimo para alunas iniciantes ou quando quer fazer uma dança mais introspectiva.  Este trecho vai até o minuto 3:11.

Depois começa a segunda parte entra a voz de Tony Mouzayek com um acompanhamento belíssimo de cordas que mais parece a "introdução" da segunda parte. Só então entra toda banda preenchendo a música, onde ocorre uma diminuição da melodia que dá a impressão que a música fica mais rápida. Mas o tempo continua em 4/4. Ao dançar é importante não sair "correndo" neste momento, a sensação de aceleração se expressa no corpo com tremidos mais intensos.

A terceira parte inicia no tempo 5:38, esta parte é mais animada um cadenciado mais solto, aqui é o momento que gosto de interagir com o público, sinto esta liberdade.

Ao final ele volta a segunda parte para finalizar, quando coreografo repito os movimentos que realizei, porém com outra dinâmica. Num improviso nem sempre tenho essa clareza devido a emoção do momento.

A primeira bailarina a dançar as músicas cantadas por Om Kalthoum foi Saheir Zaki, sua dança é delicada é precisa  exatamente o que Enta Omri pede. Se percebermos a textura dela não possibilita grandes giros e movimentações amplas, mas movimentos suaves e bem marcados. Embora  apresenta partes independentes, as partes se comunicam pelo andamento da letra. A condução melódica automaticamente induz o corpo a se movimentar de forma sinuosa numa dança bem tradicional.

Em outras postagem futuras falarei das personalidades citadas aqui. Abaixo segue um trecho dos meus estudos práticos:


Inscrições pelo telefone: (11) 2056-0454



Para acompanhar os conteúdos:
  Instagram: priscilagenarodofides
Canal no telegram: priscilagenarodofides novo!
Facebook: PriscilaGenaro
Receber conteúdo pelo Whatsapp: click no link e envie a mensagem "quero receber"


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...